Resenha literária : Annie

Olá chuchus! O post de hoje é na verdade pra avisar que eu fiz resenha em vídeo do livro Annie, aquele que eu não consegui ler durante a #MLI. Mas que depois de um tempinho li e posso dizer que já é um dos meus favoritos ?  Para vocês conferirem é só clicar no vídeo que vai tá aqui. E se inscrevam no meu  canal do YouTube,   assim sempre que surgir novidades vocês serão os primeiros a saberem.

Beijos e queijos ♡

Anúncios

Resenha : Extraordinário – R. J. Palacio

Sem títuloTítulo: Extraordinário

Título original: Wonder

Autora: R. J. Palacio

Editora: Intrínseca

Nº de páginas: 318

Sinopse: August (Auggie) Pullman nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma severa deformidade facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Por isso ele nunca frequentou uma escola de verdade…até agora.

Todo mundo sabe que é difícil ser um aluno novo, mais ainda quando se tem um rosto tão diferente. Prestes a começar o quinto ano em um colégio particular de Nova York, Auggie tem uma missão nada fácil pela frente: convencer os colegas de que, apesar da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros.

Narrado da perspectiva de Auggie e também de seus familiares e amigos, com momentos comoventes e outros descontraídos, Extraordinário consegue captar o impacto que um menino pode causar na vida e no comportamento de todos, família, amigos e comunidade – um impacto forte, comovente e, sem dúvida nenhuma, extraordinariamente positivo, que vai tocar todo tipo de leitor.

Frases favoritas

extraordinario-frase

“Sabe o que eu acho? A única razão de eu não ser comum é que ninguém além de mim me enxerga dessa forma.” Pág: 11

“ August é o Sol…O  único corpo celestial que não gira em volta do August, o Sol, é Daisy, nossa cadela, e isso porque, para seus olhinhos caninos , o rosto do August não é muito diferente do rosto de qualquer outro ser humano.” Pág: 89

“ – Não sei, querido. – Ela parecia cansada. – Simplesmente sentem. Não precisamos dos olhos para amar, certo? Apenas sentimos dentro de nós […]” Pág: 233

‘Extraordinário’ é uma história melancolicamente perfeita e profundamente tocante. É muito difícil dizer tudo o que eu senti quando terminei a leitura. Fui tomada por uma onda de felicidade. Tantos sentimentos misturados, ler em dois dias e querer lê novamente assim que terminei a última frase, meu primeiro livro de 2015.  Acho que esse é um daqueles livros que cumpre bem o que propõe e vai além: ele me surpreendeu, conseguiu estar acima de todos os comentários positivos que li sobre ele. Foi direto pra minha lista de favoritos, ainda não encontro palavras suficientes capaz de  defini-lo.

Como não amar  o Auggie?! Me apaixonei por ele logo na primeira pagina, a todo instante queria dizer pra ele que tudo ficará bem, independente do que as pessoas pensam. Ele é um personagens impactantes, que me fez perder a fala, e me comoveu o tempo todo, Auggie é sem dúvidas um garoto extraordinário. Sua vida estava relativamente em ordem, até o momento que sua mãe começa a pensar em coloca-lo em  uma escola comum.

August – ou simplesmente Auggie – nunca frequentou uma escola. Ele vivia em uma redoma criado por seus pais e sua irmã, estudou em casa queria ser uma pessoa comum, mas sabia que as pessoas não o viam de  forma comum. Isso porque August tem  uma síndrome genética que deixou com uma deformidade facial.

Agora ele tem um novo desafio pela frente, encarar todas as pessoas de sua nova escola – Auggie esta nervoso com a reação das pessoas, mesmo ele já estando acostumado.Tendo apenas dez anos, ele já viveu o bastante para sentir na própria pele o que é ser diferente quando ser comum é tudo o que você mais quer.

Na escola as coisas também não são diferente, parece que todos o olham diferente pelo simples fato dele fugir dos padrões de ‘normalidade de um rosto’.Até que ele conhece Summer. Ela é a uma das poucas pessoas que parecer os olhos  não se importar com aparência dele, Summer enxerga o enorme coração que esconde-se atrás daquele rosto. Ela vai contra todas as opiniões dos outros  e resolver ser amiga do August.

August Pullman, um garoto que mesmo tendo de enfrentar inúmeras barreiras, só queria ser notado como mais um, e não o um. Muitos problemas surgirão e Auggie terá que lidar com cada um deles.

Fui totalmente envolvida pelo livro, todas as emoções transmitidas por ele, ainda permanecem em mim, mesmo tendo lido há alguns meses, só agora consigo externar parte do que senti. Fui envolta na áurea de simplicidade na qual a autora desenvolveu toda a história, cada personagem, a estrutura do livro, tudo me prendeu isso é notavelmente incrível.

O livro é narrado por vários personagens, ou seja a história do August é vista de por diversas perspectivas , por pessoas distintas, isso torna o livro ainda mais legal. A narrativa do Auggie nos mostrando como é ser diferente, é uma das minhas favoritas, me tocou de forma irreversível. A de Via, sua irmã, transmite a ideias de  que por mais difícil que possa parecer as coisas, com compreensão e a paciência tudo pode se resolver, e que se rebelar e querer ser notado é algo que todo mundo deseja. A Summer, uma garota muito especial, um dos meus personagens favorito do livro, me identifiquei com ela, pelo seu raro dom de ouvir seu coração e compreender que muito mais importante que aparência o caráter e a dignidade. E tantos outros que tornam a história especial.

A história é belamente original, e a R. J. Palacio, tem uma capacidade incrível de nos emocionar, de maneira positiva, posso dizer que ela tornou-se uma das minhas escritoras favoritas.

Princesa Adormecida ~ Paula Pimenta

11102720_872034839509678_759472227010983739_n (1)

Olar amores! O post de hoje é pra falar deste livro que li ontem. Para mim, tentar escolher um livro para ler é como pegar a minha estrela favorita … Eu praticamente devoro todos eles, porque todos eles são brilhantes em sua própria maneira! (OK … talvez não todos, mas você entendeu o que quis dizer) Mas depois de ler inúmeros comentários sobre Princesa Adormecida , sentia como se esse fosse o livro certo para fechar o mês.

Eu li tantos romances nos últimos anos tanto ficção e não ficção, assisti a  filmes vistos, Eu costumava ser obcecada com romances  ao longo do ensino fundamental e médio. Então, eu estava realmente um pouco hesitante para ler este livro porque eu sinto como se eu tivesse passado dessa fase há muito tempo,  mas fiquei agradavelmente surpreendido ao encontrar um completamente novo, mesmo que seja uma releitura de um clássico dos contos de fada. A Paula Pimenta da um novo ponto de vista. Eu não acho que eu já li um livro que fosse uma releitura, mas tão original. Foi fascinante e aterrorizante ao mesmo tempo saber que agora eu preciso ler todos os livros dela.

Em cima disso, a escrita da Paula Pimenta  é tão bonita. Foi um prazer ler apenas por questão da escrita. Eu não li nenhum dos outros trabalhos de dela, mas eu definitivamente pretendo. E quanto a você?

Eu amei todos os personagens e como eles foram desenvolvidos e os papéis que representou, mas eu realmente amei  os tios o papel que eles desempenharam na história.

Eu poderia falar sobre este livro sem parar, mas este é um post, não uma dissertação! Este é sempre um grande negócio para mim, mas eu sei que nem todo mundo pensa sobre isso. Eu posso odiar uma história, mas amo a escrita, ou vice-versa. Neste caso, eu amei tanto a história quanto a escrita.

Você não pode esperar para ler a frase seguinte, isso pode parecer um pouco sentimental ou dramático, mas nada me agrada mais do que uma frase bem construída. Exceto, talvez, uma sobremesa bem construída  🙂  Então o estilo da Paula me serviu perfeitamente.

Resenha: Quando a luz se apaga

LIVRO PR VELANES

Quando a luz se apaga  é uma leitura única que vai tocar cada leitor de um jeito diferente. Por conter nele revelações especificas para as diferentes áreas da nossa vida.

o livro pretende levar o leitor a compreender que a partir do momento que aceitamos ao Senhor Jesus como senhor e salvador de nossa vida, nos tornamos a luz do mundo. E temos a responsabilidade de levar a luz que há em nós aqueles que estão em trevas.

Fala também sobre as pessoas que brilham apenas por fora, mas são apagadas por dentro, que possuem uma falsa alegria e vivem de aparência.

Mas, para aqueles que tem  habitando dentro de si a luz de Deus, mesmo que outros ainda não a vejam, chegará o tempo em que essa luz iluminará não apenas a ele, mas a todos aqueles que o cercam. É essa luz que o autor Paulo Velanes que levar através deste livro.

Com pequenas histórias e textos bíblicos o autor vai nos levando aos princípios da palavra, levando-nos a ter o espírito do Santo do Senhor, a sabedoria, o entendimento e a andar segundo o conselho do Senhor, para que alcancemos o conhecimento, o temor e a fortaleza do Senhor Deus.

É um livro que todo cristão deve ler. Somos a luz do mundo, e não podemos deixar que a luz se apague, devemos, porém devemos azê-la brilhar cada dia mais.

IMG_20141117_201155

quando a luz se apaga

Beijos e queijos :*

RESENHA: LIVRO NIETZSCHE – A CORAGEM COMO FATOR DE SUCESSO.

260-536948-0-5-nietzsche-a-coragem-como-fator-de-sucesso

O livro começa com uma apresentação com a qual me identifiquei cem por cento, pois o Drosdek através de sua obra Nietzsche: a coragem como fator de sucesso, se utiliza do pensamento nietzschiano para abordar temas que vão desde educação à gestão empresarial. Fazendo uma relação de alguns de seus pensamentos com o perfil dos que almejam empreender.

Ele expôs o vitalismo alemão como um dos temas principais da sua filosofia, abordado desde temas extremamente metafísicos até uma concepção geral da sociedade e do que fazemos enquanto ainda caminhamos sobre a terra.

Ele declara que o empreendedor é um agente inovador que não cede ao comodismo e procura deixar sua marca no mundo utilizando seus conceitos únicos que realmente façam a diferença.

Nietzsche Conhece que é mais importante o auto conhecimento e o domínio de si próprio, do que mostrar-se um vencedor aos olhos dos outros e que a realização ideal do potencial próprio era também sempre a melhor e mais honesta contribuição que um indivíduo pode dar para o bem da comunidade.

 Quando alguém procura superar seus limites utilizando sua vontade e o seu amor próprio, está caminhando rumo ao encontro de si, assumindo toda e qualquer responsabilidade por eventuais acertos e erros que venham a ocorrer no meio do caminho.  Umas das citações do livro que mais gostei foi essa que diz:  “Segundo Nietzsche, toda pessoa tem a responsabilidade de ser o que ela, em essência, já é potencialmente (…)”. Este livro me fez entender então que o empreendedor é um agente extremamente dinâmico que se move criando e destruindo valores que constrói durante sua longa jornada.

Principalmente porque o Drosdek dá ênfase à leitura de Nietzsche quando fala que “cada um precisa encontrar o seu próprio caminho para o sucesso na vida, (…) a utopia da manhã é a realidade da tarde. É essa visão das coisas que torna o estudo de Nietzsche tão estimulante”. O autor utiliza a filosofia nietzscheana para abordar o eterno desenvolvimento ao que o profissional está fadado a viver. “Nós podemos crias conjuntamente melhores empresas e melhores sociedades, na media em que, nós mesmos, nos melhoramos enquanto pessoas. Essa era a mensagem central de Nietzsche”.

Beijos e Queijos :*

Resenha: A menina que colecionava borboletas

tumblr_n4mcriFC781r4co8wo1_500

 

Título: A menina que colecionava borboletas

Autora: Bruna Vieira

ISBN: 9788582351222

Editora: Gutenberg

Número de páginas: 152

 

Sinopse: Bruna Vieira está cada vez mais longe dos quinze, e sabe que crescer nunca é tão simples. Considerada uma das blogueiras mais influentes do mundo, mais uma vez ela dá vazão ao seu talento como escritora com este seu novo livro de crônicas e pensamentos, em que mostra o quanto amadurecer e conquistar a independência é maravilhoso, mas tem seus desafios e poréns. A garota do interior que usa batom vermelho e que realizou seus maiores sonhos continua inspirando adolescentes de todo o país. Para ela, as páginas deste livro significam o bater de asas das borboletas que colecionou dentro do peito por algum tempo e que agora, finalmente, pode deixar que voem livres por aí.

O livro começa com uma apresentação com a qual me identifiquei cem por cento e finaliza com um parágrafo que me fez suspirar fundo olhando pra parede do meu quarto.

“Com quase 20 anos, entendi que é um erro se anular tanto por alguma coisa, seja para fazer parte de um grupo social, conquistar o coração de alguém, seja simplesmente para ser promovido no trabalho.” (página 15)

“Respire fundo e olhe para trás. Repare bem no que vê. Não eram imperfeições. Eram asas. Agora, você não é mais casulo. Você é uma borboleta. Voe!”

Percebi que eu também estou saindo deste casulo. Assim como a Bruna que no momento que escreveu o livro estava prestes a completar 20 anos, e como eu irei completar 20 em novembro, acredito que este fato, acabou por fazer com que me identificasse ainda mais com o livro

Este livro mostra uma Bruna mais confiante e segura de si, sempre buscando metáforas, lições, mensagens que a ajude e nos ajude também a entender essa tão complexa vida.

Me apaixonei pela capa do livro que é muito linda e o interior do livro também cheio de ilustrações lindas da artista Malena Flores entre as crônicas que são bem curtinhas e falam sobre solidão, auto estima, amor e amizade e, no final, aquele bônus ‘Leia este livro ouvindo’ que se tornou uma marca registrada da Bruna.  Ela tem uma maneira muito bonita de pensar a arte e a escrita (‘só a arte pode salvar nossa alma da solidão’) e talvez por isso seu trabalho seja tão bonito e caprichado. Fazendo com que nós leitores, nos sentamos seus amigos, Por isso que ela é uma das minhas escritoras favoritas.

Beijos e Queijos ❤

Quem mexeu no meu queijo? – Parte I

Amei esse livro e super indico a leitura dele por todos 🙂

Jorge Wanderley

Mudança! Essa é a palavra que atormenta muitas pessoas. E confesso que eu também já fui atormentado. A insegurança do novo e a possibilidade de algo dar errado nos leva muitas vezes a tentarmos impedir o seu acontecimento. Porém, percebemos que na maioria delas o esforço é em vão, confirmando a afirmativa de George Bernard, o qual diz que a mudança é algo inevitável.

Precisamos aprender a lidar com esse fator, pois:

“Ninguém pode ser escravo de sua identidade: quando surge uma possibilidade de mudança é preciso mudar.” Elliot Gould

Os grandes líderes como Steve Jobs, Dalai Lama, Mark Zuckerberg e Martin Luther King são exemplos disso. Não tiveram medo e muito menos hesitaram em seguir em frente diante de uma mudança.

Spencer Johnson, autor do livro “Quem mexeu no meu queijo?”, um dos maiores best-sellers do mundo, fala sobre a insegurança e a necessidade de sair da sua…

Ver o post original 506 mais palavras

Resenha do livro ” Quem é você Alasca? do John Green

Imagem

A pedido de uma leitora aqui do blog que amou a minha primeira resenha.

A resenha de hoje é também a minha dica de leitura pra essa semana o livro do meu querido João Verde hehe, John Green também autor do livro A culpa é das estrelas.

Vocês vão perceber que eu sou uma fã dos livros de Green :p

Quem é você Alasca?

A história é dividida em duas partes – antes e depois -, e narra a trajetória de Miles Halter, um garoto apaixonado por últimas palavras. No começo, ele sai de casa para ir à escola preparatória de Culver Creek e justifica a sua ida com as últimas palavras de François Rabelais “Saio em busca de um Grande Talvez”. A partir daí, somos lançados no mundo acadêmico e toda aquela sua energia contagiante de adolescência, com amizades sinceras, conversas reflexivas e aqueles comportamentos marotos que acontecem de vez em quando.

“Quem é você, Alasca?” é livro marcante por retratar a realidade com a qual nos deparamos na adolescência e no ambiente escolar, o que faz o leitor se envolver e ficar com a sensação de fazer parte de tudo isso. Além disso, os personagens são envolventes e possuem perfis extremamente reais, como jovens viciados em vídeo games, que sofrem por amor e com a ideia de fazer algo marcante na vida.

O Miles ou Gordo , como a Alasca o apelidou, o que é irônico já que ele é magricelo, sempre propenso a cometer bobagem.

A Alasca é louca. E impulsiva, e ela que traz toda a vibração pra historia, ela é daquelas personagens enigmáticas, que a gente nunca sabe o que esperar. Cada atitude dela é uma surpresa.

E o Coronel, mesmo sendo um personagem secundário, não tem como não se apaixonar por ele.

Há um momento em que Miles observa o cenário de sua escola e começa a divagar sobre como as coisas que existem estão inevitavelmente interligadas entre si –uma comparação parecida com a que Holden Caulfield faz sobre o seu papel na sociedade em que vive, sobre ser um apanhador num campo e afastar as pessoas do precipício do amadurecimento no livro “O apanhador no campo de centeio”, de J.D. Salinger.

Imagem

“Quem é você, Alasca?” é um romance que acaba te fazendo refletir sobre  sua vida (e morte). Esse romance nos faz pensar como uma vida pode interferir na vida de outra pessoa, como a dor e o sofrimento podem mudar uma pessoa e as consequências disso.

John Green gosta muito de deixar dúvidas e perguntas para serem respondidas e refletidas por nós, nenhum de seus livros tem um final realmente completo, sempre há uma ponta solta e uma pergunta a se fazer. E isso me faz amar ainda mais seus livros, por que na real , não há finais , nem respostas completas, a sempre algo mais, o grande talvez.

Se você quer uma história boa e além disso leve, engraçada e bacana de ler este livro que eu recomendaria!

Beijos & Queijos

Primeira Resenha do blog. Uhuuuuuuuuuuu!!!

Oie Bisoiudos, 

A primeira resenha do blog é na verdade uma que eu fiz pra faculdade e que a profª ainda não lançou a nota, então nem tem como eu saber se ficou realmente boa , mas Okey.

Vou compartilhar com vocês e pronto. u.u

A resenha é de um livro maravilhoso que me eu li antes de virá modinha, que fique bem claro u.u

espero que gostem.

Beijos & Queijos

Imagem

Título: A Culpa É das Estrelas
Autor: John Green
Editora: Intrínseca
Edição: 1
Ano: 2012
Idioma: Português

 

 

A culpa é das estrelas narra o romance de dois adolescentes que se conhecem e se apaixonam em um Grupo de Apoio para Crianças com Câncer.

Hanzel tem 16 anos e há 3 luta contra um câncer terminal que, apesar de encolhendo, não vai lhe dá mais que alguns anos de vida. Ela abandonou a escola há algum tempo e passa as tardes assistindo America’s Next Top Model, o que não quer dizer que ela seja totalmente infeliz. Ela é delicada, frágil e inclusive passível de pena, ela tem uma personalidade muito forte, é determinada, irônica, usando sempre um humor negro e lidava com a morte de forma totalmente altruísta.

 Hazel há muito tempo aceitou seu destino, e a única coisa que a deixa preocupada, magoada e, principalmente, culpada, é a forma como seus pais precisam encarar esse grande desafio. Ela se descreve como uma granada perto de explodir e ferir aqueles que são próximos a ela.

Seu par perfeito, Augustus Waters ou Gus como ela o chamava ele é  incrível, Bonito, inteligente, determinado e muitas vezes irônico. Sua metáfora em relação ao cigarro deixava claro sua personalidade forte, assim como a de Hazel, acreditem o Gus não encantou apenas a Hanzel.

A Culpa das Estrelas não é um livro que fala de tristeza… “ACEDE” é um livro que fala de amor. Que nos banqueteia com uma reflexão profunda sobre todos os tipos de amor.

 A história dos dois personagens é narrada de maneira tão sutil e divertida que chegamos a esquecer da condição na qual eles vivem, tudo é abordado com leveza e de forma clara. Até mesmo quem nunca ouviu falar sobre pacientes terminais consegue entender o que se passa durante o tratamento sem se chocar e ainda se identificar com os sentimentos dos personagens. Chegando a imaginar que a história deles é  infinita.

O romance entre Hazel e Gus é fofo e delicado. Hazel ainda sofre com o tratamento do câncer, e apenas espera que a sua vida termine para que não tenha mais que sofrer, nem ver os pais sofrendo. Gus já completou o tratamento, e mesmo tendo perdido uma perna por causa do câncer, é uma pessoa positiva que quer ajudar os amigos. Quando os dois se conhecem, a fragilidade da doença faz com que eles se aproximam e se entendam ainda mais do que qualquer outra pessoa.

 A grande linha-guia de A Culpa é das Estrelas é o livro favorito de Hazel, Uma Aflição Imperial. Escrito por um autor de uma obra só, o livro fala de uma garota que, assim como Hazel, enfrenta um câncer.

O livro trata de amor e família e o que jovens com câncer podem nos ensinar sobre o amor e a vida, sobre decidir usar seu conjunto limitado de tempo. E que nem sempre o que acontece é uma escolha nossa.

Um dos pontos mais interessantes do livro é a maneira como Hazel e Augustus expressam o amor um pelo outro. Eles traduzem seu amor de forma não habitual como eu te amo ou para sempre.

Um ponto muito interessante é o fato de que o livro apesar de ser ficcional faz referência a fatos reais o que faz você acreditar que a história realmente aconteceu.

John Green não quer apenas sensibilizar, mas que seus leitores compreendam a vida de outra forma. A culpa é das estrelas vai fazer arrancar sorrisos e lágrimas, e talvez até mude um pouco sua vida.

John Green escreve muito bem, e a narrativa é dessas que te fazem ler sem ver o tempo passar até em um final inesperado e emocionante. Se você ainda não leu o livro, dê uma chance.

Imagem